Um olhar sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros
(38) 3229-9800
 
Conheça-nos
Principal
Mural
Eu te procuro
Clamor & Broncas
Músicas de M. Claros
Hoje na história
 de M. Claros
Montes Claros
 era assim...
História
Chuvas em M. Claros,
  mês a mês,
 de 1905 a 2012
Memorial de
 João Chaves
Memorial de
 Fialho Pacheco
Reportagens
Concursos
Colunistas Convidados
Notícias por e-mail
Notícias no seu site
Fale conosco
 
Anuncie na 98 FM
Ouça e veja a 98 FM
Conheça a 98 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 98
Previsão do tempo
 
Anuncie na 93 FM
Ouça a 93 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 93
Publicidade
 
Avay Miranda
Iara Tribuzi
Manoel Hygino
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Dário Teixeira Cotrim
Davidson Caldeira
Edes Barbosa
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
Ivana Rebello
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz Cunha Ortiga
Luiz de Paula
Manoel Hygino
Manoel Hygino)
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 
Atuais
Panorâmicas
Antigas
Pinturas
Catopês
Obtidas por satélite
No Tempo de Lazinho
Estrada Real Sertão
Mapa de M. Claros
 

10/9/2014 -"...teve até o desfile de um mendigo novo, supostamente drogado, que andou pelo centro, o quarteirão fechado da rua Simeão Ribeiro, completamente nu, exibindo-se". A crescente degradação da Praça da Matriz e vizinhança pede:

»1 - Policiamento mais rigoroso
»2 - Redefinição do uso da praça que é o marco zero da cidade
»3 - Outra reforma física
»4 - Maior empenho das autoridades no cumprimento das leis
»5 - Uma recuperação em todos os sentidos

» Ver resultados «




Buscar no Site


Previsão do tempo

Digite uma cidade:

Busca no



 
 


Dom 08/07/18 - 12h32 - Impasse judicial: Desembargador plantonista de Porto Alegre manda soltar o ex-presidente Lula. Moro não reconhece a competência dele. Procuradoria recorre ao relator da Lava Jato. Gebran, então, determina que Polícia Federal se abstenha de "praticar qualquer ato", mantendo a prisão. Às 16h, plantonista emite nova ordem e exige soltura até as 17h. Cármen Lúcia divulga nota. Às 19h30m, sai a notícia de que a prisão de Lula foi mantida pelo presidente do TRF-4

"Cumpra-se em regime de urgência nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente". O trecho é parte da decisão de desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre.
ABRIL
Lula está preso desde 7 de abril em Curitiba, condenado na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O despacho determina a suspensão da execução provisória da pena e a liberdade de Lula.
LIMINAR
O desembargador Rogério Favreto deferiu liminar para que o ex-presidente seja solto ainda neste domingo. O desembargador acatou habeas corpus apresentado sexta-feira pelos deputados Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, do PT, argumentando que não há fundamento jurídico para a prisão. Os parlamentares estariam na sede da Polícia Federal para fazer que a ordem seja cumprida.
ABERTURA
Segundo a Folha de S. Paulo, "Favreto, único desembargador do TRF-4 que votou pela abertura de processo disciplinar contra o juiz Sergio Moro, sob a alegação de "índole política", foi filiado ao PT por quase 20 anos".
CRÍTICO
Prossegue o jornal: "Crítico da Lava Jato, o magistrado ocupou cargos no governo Lula e em outras administrações petistas antes de ingressar no tribunal. O mais provável é que o Ministério Público Federal recorra da decisão de Favreto, pedindo que o tribunal reveja a decisão".
SURPRESA
O El País, da Espanha, na edição em português, demonstrou surpresa e registrou: "Em decisão surpreendente, desembargador manda soltar Lula neste domingo - Rogério Favreto, do TRF-4, considera como fato novo "condição do paciente como pré-candidato. Em despacho, juiz Sérgio Moro questiona competência do plantonista para decidir".
MORO
Por sua vez, o juiz Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, entendeu que o desembargador federal plantonista do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Rogério Favreto, não pode mandar soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
INCOMPETENTE
"O Desembargador Federal plantonista, com todo respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal", disse Moro.
ORDEM
E acrescentou: "Se o julgador ou a autoridade policial cumprir a decisão da autoridade absolutamente incompetente, estará, concomitantemente, descumprindo a ordem e prisão exarada pelo competente colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4a Região".
RECORREU
O procurador regional da República plantonista, José Osmar Pumes, recorreu ao relator da Lava Jato no TRF4, Gebran Neto, pedindo que reconsidere a libertação de Lula, determinada pelo desembargador plantonista.
DERRUBOU
Por volta das 14h30m, foi noticiado que o relator da Lava Jato determinou que a prisão do ex-presidente seja mantida. João Pedro Gebran Neto, desembargador do TRF4 e relator do processo, manteve a prisão.
TUMULTO
Ele escreveu na sua decisão: “Assim, para evitar maior tumulto para a tramitação deste habeas corpus, até porque a decisão proferida em caráter de plantão poderia ser revista por mim, juiz natural para este processo, em qualquer momento, DETERMINO que a autoridade coatora e a Polícia Federal do Paraná se abstenham de praticar qualquer ato que modifique a decisão colegiada da 8ª Turma”.
AMPLAMENTE
O relator Gebran alegou que a possibilidade de execução provisória da pena já foi amplamente decidida em várias instâncias, inclusive no plenário do Supremo Tribunal Federal.
10 HORAS
Mais tarde, às 16h, o desembargador plantonista fez novo despacho, dando prazo de 1 hora para o cumprimento da soltura de Lula :
“Por fim, reitero o conteúdo das decisões anteriores (Eventos 3 e 10), determinando o imediato cumprimento da medida de soltura no prazo máximo de uma hora, face já estar em posse da autoridade policial desde às 10h, bem como em contado com o delegado plantonista foi esclarecida a competência e vigência da decisão em curso”.
CORREGEDORIA
O desembargador gaúcho, em despacho, encaminhou a manifestação do juiz Moro sobre sua primeira decisão "ao conhecimento da Corregedoria dessa Corte e do Conselho Nacional de Justiça, a fim apurar eventual falta funcional".
NOTA
A entidade dos juízes federais emitiu a seguinte nota:“UNAJUFE – UNIÃO NACIONAL DOS JUÍZES FEDERAIS – manifesta seu mais profundo repúdio diante da decisão proferida em plantão judiciário no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região que determinou a soltura do Sr. Lula esclarecendo ao povo brasileiro que a referida decisão não é juridicamente válida e tampouco merece qualquer crédito pelo seu caráter ilegal e manifestamente contrário aos princípios que regem decisões tomadas em sede de plantão judiciário, violando a sistemática de funcionamento prevista pelo Conselho Nacional de Justiça. (...)"
CÁRMEN
Diante do impasse, a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, emitiu a seguinte nota: “A Justiça é impessoal, sendo garantida a todos os brasileiros a segurança jurídica, direito de todos. O Poder Judiciário tem ritos e recursos próprios, que devem ser respeitados. A democracia brasileira é segura e os órgãos judiciários competentes de cada região devem atuar para garantir que a resposta judicial seja oferecida com rapidez e sem quebra da hierarquia, mas com rigor absoluto das normas vigentes”.
MANTEVE
Às 19h30m, circulava em Brasília a notícia de que o presidente do TRF-4, desembargador Thompson, manteve a prisão de Lula. Ele decidiu que o caso compete ao relator do processo, Gebran Neto, e não ao desembargador plantonista Rogério Favreto, que mais cedo determinou a soltura do petista.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-a   Link:




Voltar à Página Inicial

 






Um olhar de Montes Claros sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros


OUÇA E VEJA A 98 FM
Todos direitos pertecentes a Rádio Montes Claros 98,9 FM. O material desta página
não pode ser publicado, transmitido por broadcasting, reescrito ou distribuído
sem prévia autorização